A nossa Filosofia

Durante os últimos 25 anos, com muito amor e grande cuidado tornámos a Quinta das Marias numa casa vinícola que produz vinhos de primeiríssima qualidade exclusivamente de cultura própria. Os nossos vinhos são um exemplo da elegância, profundidade e requinte, como só a região do Dão pode produzir, graças às condições climáticas e aos solos excecionais de que beneficia.

Como empresa familiar colocamos a qualidade acima de tudo. E é exatamente por isso que conseguimos afirmar os nossos vinhos nos mercados internacionais perante os maiores apreciadores de vinhos.

Peter e Elisabeth Eckert

A Quinta

A História

Nos anos oitenta trabalhei como Administrador da sucursal portuguesa da Companhia de Seguros Zurich. Durante as minhas viagens de negócios através do país, apaixonei-me pela região do Dão e de Viseu. Em 1991 comprámos, a minha mulher Elisabeth e eu, 4 hectares de terreno abandonado e uma casa quase em ruínas em Oliveira do Conde. Como a Elisabeth e as nossas três filhas, Ester, Isabel e Julia também se chamam Maria, batizámos a propriedade «Quinta das Marias».

Em primeiro lugar contratámos o caseiro, António Coelho Lopes, comprámos um trator, surribámos a terra e plantámos dois hectares com nova vinha. Através da compra progressiva de terrenos contíguos chegou-se aos atuais 12 hectares. Para nós era importante não sermos apenas investidores numa casa vinícola, queríamos pôr as mãos na massa e criar os nossos vinhos. Com a ajuda do Eng°. António Narciso e com muito trabalho autodidata transformei-me no viticultor da Quinta das Marias.

A legislação do Vitivinicultor Engarrafador obriga-nos a utilizar exclusivamente uvas produzidas na quinta. O acompanhamento do seu desenvolvimento é feito com o maior cuidado desde a primeira poda no inverno até à vindima no outono. A vontade e o compromisso de só produzir vinhos de primeira qualidade estiveram presentes desde o início. Os vinhos devem patentear a elegância característica dos vinhos do Dão e ao mesmo tempo imporem-se nos exigentes mercados internacionais.

Os primeiros bons vinhos foram produzidos em 1998. O Dão do ano de 1999 já obteve uma medalha de ouro no Concurso Dão DOC. O maior êxito até agora alcançado foi a atribuição do prémio Melhor Vinho Monocasta do Ano ao Touriga-Nacional Reserva 2011 no Concurso Vinhos de Portugal, o mais importante do país.

O conhecido crítico de vinhos, Rui Falcão, escreveu sobre a Quinta das Marias no caderno Fugas do Público: «A história de Peter Eckert expõe de forma eloquente como a paixão por vezes se sobrepõe à razão, como o sonho pode comandar a vida, como o amor vence todas as barreiras (…) Em pouco tempo a Quinta das Marias guindou-se ao topo da pirâmide hierárquica do Dão, apresentando-se como uma das referências da região e um dos modelos a seguir.»

Os Factos

Ano da fundação 1991

Localização A Quinta das Marias fica situada entre a Serra do Caramulo e a Serra da Estrela, no coração do Dão – a mais antiga região vinícola DOC (Denominação de Origem Controlada) em Portugal.

Distrito Viseu, Concelho Carregal do Sal, Freguesia Oliveira do Conde

Clima Ideal para a produção de vinho de grande qualidade: fresco e chuvoso no inverno, seco no verão com dias muito quentes e noites frescas (com uma amplitude térmica até 20°C).

Solo Terreno granítico – sem rega.

Produção média branco 4000 litros por hectare, tinto 3500 litros por hectare

Dimensões

0ha
12 dos quais com vinha

Produção

0
garrafas

Castas de uva brancas

Encruzado 83%
Gouveio 8%
Sémillon 6%
Barcelo 3%

Castas de uva tintas

Touriga Nacional 49%
Tinta Roriz (Tempranillo) 31%
Alfrocheiro 10%
Jaen (Mencia) 9%

As pessoas

Elisabeth e Peter Eckert, proprietários

Elisabeth Eckert é a responsável pelas instalações da Quinta. Da casa quase em ruínas fez uma residência de campo para toda a família e para os numerosos convidados e visitantes. Acompanha Peter Eckert às inúmeras feiras e provas que visitam ao longo do ano. Durante a vindima é à Elisabeth que cabe garantir as boas condições de trabalho dos tarefeiros, provendo comida e alojamento além de ainda dar uma mão a engarrafar e a rotular.

A produção dos vinhos traz a marca da mão de Peter Eckert. A época do ano mais bonita é para ele a da vindima. Mas passa muito tempo nas caves ao longo de todo o ano. Gosta de pôr mãos à obra e de participar em todos os trabalhos do processo da produção dos vinhos: trasfegar, filtrar, lotear, provar. «Este trabalho é muito diferente do que tive como diretor de seguros. Dantes era tudo abstrato, agora tudo é concreto e palpável.»

Victor Lopes
Responsável da Quinta

Victor entra para a Quinta das Marias em janeiro de 2013, primeiro como colaborador polivalente, com uma maior participação na logística e na administração. Após a inesperada morte do seu pai, António Coelho Lopes, que ajudou a fazer da Quinta aquilo que ela é hoje, Victor teve que seguir as pisadas do pai mais cedo do que se previa. Atualmente Victor substitui Peter Eckert durante a sua ausência, organiza todo o trabalho, ocupa-se das questões de pessoal, da logística e de uma grande parte da administração.

José Faria
Responsável da vinha

Após o falecimento de António Coelho Lopes, José Faria passou a ser o único responsável pela vinha, de que já se ocupava desde 2010, data em que integrou a equipa. José trabalhou mais de dez anos numa exploração agrícola em França e mais tarde ocupou-se de plantações na região do Dão. Adora a natureza e a vida ao ar livre – um escritório é uma prisão para ele.

Ramiro Marques
Trabalhador agrícola

De há um ano para cá Ramiro Marques veio juntar-se à equipa da Quinta das Marias. Sem quaisquer dificuldades de adaptação passou do funcionamento de uma quinta suíça do cantão de Berna para uma quinta dirigida por suíços em Portugal. Trabalha em estreita colaboração com José Faria no cuidado da vinha e dos campos. Tal como os outros trabalhadores, também ele ajuda em outras tarefas diversas como engarrafar, rotular e outros trabalhos vinícolas.

Eng. António Narciso
Enólogo

Peter Eckert trabalha com o Eng°. António Narciso como consultor desde 1998. Foi o seu mestre como vinicultor e contínua a ser o garante e aconselhador em questões de enologia.

Fátima Ventura
Trabalhadora sazonal

A Fátima e a Alexandra são duas trabalhadoras, que apoiam José Faria em momentos de maior trabalho e que participam com afinco na vindima.

Alexandra Marques
Trabalhadora sazonal

A Fátima e a Alexandra são duas trabalhadoras, que apoiam José Faria em momentos de maior trabalho e que participam com afinco na vindima.

Os vinhos

Encruzado

Dão DOC, 2015

Este vinho produzido pela primeira vez em 2006 é já uma referência em Portugal. Muito aromático com notas delicadas de fruta, principalmente citrinos e muito mineral. Boca fresca e elegante com boa estrutura, acidez viva e discreta mas perfeitamente integrada.

Casta: Encruzado

Data da colheita: 10.9.2015

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas.Resfriamento a 12° C com CO2 (gelo seco). Contacto pelicular durante 12 horas. Vinificação do mosto numa cuba inox, num ambiente de temperatura controlada (16° C).

Produção: 18000 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Março de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13.5%Vol., Acidez Total: 4.89gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 0.7gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Lote Branco

Dão DOC, 2015

Na primavera de 2015 adquiri através de um contrato de comodato ao meu vizinho dois hectares de terreno contíguo plantado com Sémillon, Gouveiro (Verdelho) e Barcelo. Destas uvas produzimos na vindima 2015 um novo vinho branco com o nome de Lote Branco.

Castas Sémillon 11%, Gouveio 34%, Barcelo 55%

Data da colheita 12.9.2015

Vinificação Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas.Resfriamento a 12° C com CO2 (gelo seco) e prensagem. Vinificação do mosto numa cuba inox, num ambiente de temperatura controlada (16° C).

Produção 4400 garrafas (75cl)

Engarrafamento Março de 2016

Alcoól 13.5 % Vol.
Azidez total 5.43 g/L
L Saccharose/D-Glucose/D-Fructose 0.4 g/L

Pessoas responsáveis pela produção

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador Peter Viktor Eckert

Responsável da Quinta Victor Lopes

Responsável da vinha José Faria

Apoio enológico Eng°. A. Narciso

Rosé

Dâo DOC, 2014

O nosso último Rose é um vinho frutado e refrescante, com a suavidade certa para ser bebido no Verão. É a sua escolha perfeita para os dias quentes à volta da piscina e para os serões passados entre amigos. Este vinho reflecte a nossa contínua paixão pela produção de vinhos memoráveis, deixando a saudade e a marca do seu sabor para além do Verão.

Casta: Jaen

Data da colheita: 30.9.2015

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas.Resfriamento a 12° C com CO2 (gelo seco). Contacto pelicular durante 4 horas. Vinificação do mosto numa cuba inox, num ambiente de temperatura controlada (16° C).

Produção: 1466 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Março de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13%Vol., Acidez Total: 5.74gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 0.6gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Lote

Dão DOC, 2014

Um vinho de lote moderno com as castas tradicionais do Dão : Touriga-Nacional, Tinta-Roriz, Jaen e Alfrocheiro. Aroma intenso frutado e floral, notas tostadas. Sabor potente e fresco, taninos suaves com final prolongado e elegante.

Castas: Touriga-Nacional, Tinta-Roriz, Jaen & Alfrocheiro. As vinhas têm entre 13 e 25 anos de idade.

Data da colheita: 27.9.–3.10.2014

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas. Fermentação e maceração em lagares de granito com pisa e Cubas de fermentação «Ganimede». Fermentação maloláctica e estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês (Allier) de segundo e terceiro uso.

Produção: 5000 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Março de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13%Vol., Acidez Total: 5.22gr/L, pH 3.82, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 0.9gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador:
Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Alfrocheiro

Dão DOC, 2014

O Alfrocheiro é uma especialidade da Quinta das Marias. Tem uma cor aberta e aroma bem atractivo, franco, com sugestões vegetais, terra, fruto silvestre, característico da casta. Na boca é todo em elegância, deixando de lado o vigor, os taninos são suaves, a frescura frutada apresenta-se em pleno, é um vinho perfeito para a mesa, que se bebe com muito prazer. Produzimos 1800 garrafas.

Casta: 100% Alfrocheiro – Vinhas plantadas em 1991.

Data da colheita: 29.9.2014

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas. Fermentação e maceração numa cuba de fermentação. Maloláctica e estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês de terceiro uso.

Produção: 1800 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Março de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13 %Vol., pH 3.88, Acidez Total: 5.37 gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 0.9 gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Cuvée TT

Dão DOC, 2014

Um blend moderno com Touriga-Nacional e Tinta-Roriz parcialmente fermentado em lagares de granito com pisa. Estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. As castas são bem casadas, a Touriga-Nacional contribui com notas florais e que dão elegância ao vinho, a Tinta-Roriz dá-lhe estrutura e base. Elegante, bem estruturado e fino na boca com taninos firmes e integrados e uma boa acidez.

Castas: Touriga Nacional & Tinta-Roriz.

Data da colheita: 5./6.10.2014

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas. Fermentação e maceração em lagares de granito com pisa e numa cuba «Ganimede». Fermentação maloláctica e estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês (Allier) de segundo uso.

Produção: 5600 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Maio de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13.8%Vol., Acidez Total: 5.01gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 1.4gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Touriga Nacional Reserva

Dão DOC, 2014

Este vinho reflecte todo o ano vínico de 2014 : excelente qualidade e pouca quantidade. Conseguimos uma produção de 4900 garrafas. É uma versão muito potente da Touriga-Nacional onde se junta uma boa barrica (Meyrieux, Boutes & J.M. Gonçalves) com um vinho concentrado sem ser demasiado extraído. Excelente prova de boca, rica sem esmagar, cheia e com taninos bem presentes. Este vinho jamais passará despercebido – é um “must” para qualquer apreciador da casta Touriga-Nacional.

Casta: Touriga Nacional.

Data da colheita: 5./6.10.2014

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg, desengaço das uvas. Fermentação e maceração em lagares de granito com pisa e numa cuba «Ganimede». Fermentação maloláctica e estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês (Allier) de segundo uso.

Produção: 5600 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Maio de 2016

Resultados da análise: Alc.: 13.8%Vol., Acidez Total: 5.01gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 1.4gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Encarregado da Quinta: Victor Lopes

Responsável pela vinha: José Faria

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Garrafeira

Dão DOC, 2010

Garrafeira é, segundo as normas DOC portuguesas, a mais alta referência para a qualidade do vinho logo a seguir a Reserva e obedece a estreitas condições e rigorosos padrões de qualidade. A Quinta das Marias produz de cinco em cinco anos um vinho de Garrafeira, muito requintado e complexo. A personalidade deste vinho resulta da notória qualidade da uva, que nasce da nossa mais antiga vinha e do Estágio feito em barricas de 225 L das quais dois terços são novas. O nosso Garrafeira é um vinho muito elegante, mostrando taninos finos e acidez equilibrada e o acompanhamento perfeito para uma ótima refeição.

Castas: 80% Touriga-Nacional, 20% Tinta-Roriz

Data da colheita: 5.10.2010

Vinificação: Colheita manual em caixas de 20 kg., desengaço das uvas. Maceração a frio durante 48 horas. Fermentação numa cuba «Ganimede». Fermentação maloláctica e estágio durante 12 meses em barricas de carvalho francês; 2/3 das barricas são novas.

Produção: 4130 garrafas de 75cl

Engarrafamento: Maio de 2012

Resultados da análise: Alc.: 14%Vol., Acidez Total: 4.45gr/L, Sacarose/D-Glucose/D-Fructose: 1.5gr./L

Pessoas responsáveis pela produção:

Proprietário Vitivinicultor Engarrafador: Peter Viktor Eckert

Responsável pela vinha e Encarregado da Quinta: António Coelho Lopes

Apoio enológico: Eng°. António Narciso

Ficha técnica PDF

Encomenda

Contacte-nos através do nosso E-mail ou visite-nos na Quinta das Marias.

Horário de funcionamento
De segunda a sexta-feira, 8:30–12:30 | 14:30–17:00.

E-mail